Rituais e cerimônias fúnebres nas principais religiões

Conheça as cerimônias e rituais fúnebres das principais religiões e saiba de que forma prestam suas homenagens aos falecidos.

Sabemos que a forma em que nos despedimos de nossos entes queridos está relacionada principalmente a religião em que seguimos.

E devido a esse fato, há diversas formas de celebrações, rituais e cerimônias fúnebres que estão presente por nosso país e em todo o mundo.

Pensando nisso, trouxemos as curiosidades e informações sobre as cerimônias de morte das principais religiões!

Catolicismo 

Sendo a religião predominante do Brasil, com aproximadamente 50% da população seguindo suas crenças, as formas em que são feitas as homenagens são mais conhecidas popularmente.

Normalmente, primeiro é feito o velório na presença de um padre que realiza as orações, enquanto familiares e amigos se despedem do ente querido.

Sendo o velório comumente realizado com o caixão aberto, alguns dos presentes na cerimônia chegam a tocar o corpo como forma de despedida.

Ainda é realizada a missa de corpo presente no local, contando com velas, incenso, água benta e flores, que segundo a crença ““a incensação é um sinal de veneração, a água serve para lembrar o batismo, a vela representa a vida que se vai queimando, a luz é um sinal de Deus e o crucifixo é para recordar que Cristo morreu por todos e é a luz da ressurreição”.

Posteriormente ao velório, o corpo é colocado em um carro para transporte até o local de sepultura e durante o percurso os presentes no momento entoam canções e palavras de fé.

No local onde é sepultado o corpo, normalmente são colocadas coroas de flores que simboliza a primeira da vida que florescerá por toda eternidade.

Além disso, uma grande parte dos católicos prestam ainda homenagens ao 7º dia de falecimento.

Chamada de missa de sétimo dia é realizada durante a celebração de missa na igreja, sendo convidados para estarem presentes todos os familiares e amigos, onde por um momento o padre presente homenageia o falecido em questão.

Os católicos contam ainda com uma data especial em que realizam uma visita ao cemitério para homenagear e orar pelos entes queridos já falecidos, celebrado em 2 de Novembro o Dia dos Finados é uma importante tradição fúnebre do catolicismo.

Protestantismo

Sendo uma religião em que não há crença na reencarnação, os protestantes creem que ao morrermos passamos para uma vida ao lado de Deus.

Um dos diferenciais das cerimônias realizadas pelos adeptos dessa religião é que normalmente todo o ritual fúnebre tem o intuito maior de auxiliar os familiares do falecido nesse difícil momento, ao contrário da maioria onde são feitas homenagens e despedidas ao ente querido que partiu.

Comumente as cerimônias são realizadas com o velório na igreja ou cemitério, além disso, não são usadas velas nesse momento, apenas flores, orações, leituras bíblicas e a liturgia fúnebre por um pastor presente, familiar ou amigo do falecido.

Espiritismo 

Uma das religiões que mais vem crescendo em número de seguidores a cada ano no Brasil, os espíritas acreditam que a morte é apenas uma passagem deste mundo para outro e não o fim da vida.

Crendo ainda que após o falecimento passamos a ser um espírito, até o momento que reencarnamos com o objetivo de evoluirmos em relação a última passagem que tivemos pela terra.

O velório e sepultamento são realizados de forma semelhante como as outras religiões citadas, com o diferencial de que por acreditaram que o falecido ainda possa estar vivo em espírito no momento os presentes na despedida buscam manter o equilíbrio realizando preces e pedidos.

Não é de costume que levem objetos para a cerimônia como flores e velas, além de cantos e clamores, já que devem passar a sensação de tranquilidade para o espírito do falecido

Judaísmo 

Sendo um momento em que se tem mais como intuito a exaltação dos feitos e qualidades que o falecido tinha em vida, a cerimônia fúnebre familiares e amigos para lembrar os bons momentos vividos ao lado do ente que partiu e realizar orações em sua memória.

Normalmente o caixão é cercado por velas, como forma de direcionar o espírito para um caminho iluminado.

Não sendo uma cerimônia de longa duração assim como em outras religiões, tem como grande diferencial as vestes de quem está presente, mulheres com lenço cobrindo totalmente a cabeça e homens com o quipá (boina/chapéu judeu).

Outro fator que marca a diferença do ritual fúnebre judeu é a forma em que o caixão é exposto para os presentes no velório, sendo realizado com ele lacrado devido a ser considerado um desrespeito deixar o falecido exposto.

Como já citado, os participantes realizam declarações em memória das boas ações do falecido enquanto são recitadas a leitura de salmos, não sendo permitido músicas durante a cerimônia.

Candomblé 

Por acreditaram que a morte não é o fim, apenas o início de um caminho e passagem, a cerimônia de despedida é dividida em etapas com o objetivo de liberar o espírito do corpo.

Primeiramente é realizado o desprendimento e preparação do corpo em uma casa de pai de santo (figura mais importante do terreiro).

Após este processo os adeptos do candomblé começam a cerimônia de velório, onde entoam cânticos pedindo para que os ancestrais recebem o novo espírito em questão.

Outro diferencial do ritual fúnebre umbandista é os trajes usados, sendo que os presentes usam roupas brancas e partes da folha do dendezeiro em seus braços como forma de proteção, além do falecido estar representado no ambiente por um recipiente de barro virgem.

Caso o falecido seja um pai ou mãe de santo, a cerimônia fúnebre de louvação tem duração de sete dias, seguindo por mais sete dias após o enterro onde os familiares e amigos continuam a entoar cânticos e rezas pela alma do falecido.

Budismo

Realizado de maneiras variadas em diversos países do Oriente, as cerimônias do seguidores das crenças budistas costumam ter a realização de encontros após o falecimento do ente querido.

Sendo um ritual que se repete por a cada sete dias e tem seu fim ao completar 49 dias do falecimento.

E sendo um dos países em que o Budismo está mais presente, o Japão tem como costume a cerimônia de Obon, ocorrendo em 15 de Julho ou 15 de Agosto.

Tem como objetivo reunir as famílias japonesas para que enfeitem templos com lanternas coloridas e realizam danças ao ritmo de cantos tradicionais japoneses como forma de prestar homenagem aos que já partiram.

Além disso, há a tradição de realizar ofícios memoriais como forma de homenagear o falecido, são celebrados em datas especificas como no 1º, 3º, 7º, 13º, 17º e 33º dias após o falecimento.